#Devocional: Outra possibilidade logo ali

por 14:17 0 comentários
Um jovem perde um primo e a mãe. O primo foi infectado por um dos piores tipos de meningite enquanto trabalhava. A mãe foi vítima de um acidente vascular cerebral e faleceu no leito do hospital. Em comum, além do fato de serem familiares, todos são cristãos. Deixo à parte os questionamentos sobre o acesso à saúde pública e de qualidade, sem dúvida fatores agravantes em ambos os casos, para me dedicar à pergunta que não cala: onde está Deus no meio desse sofrimento? E a resposta está na pergunta: Deus está no meio desse sofrimento.

Olhamos para Jesus e o encontramos anunciando um novo reino que chegou e aniquilando os inimigos. Tentando olhar com os olhos da teologia enxergo como inimigos o pecado, o inferno e a morte. O pecado inicial do primeiro casal: a busca por auto-suficiência. O pecado de querer ser igual a Deus onde deveria ser eterno dependente. O pecado de ao invés de viver em solidariedade (mútua dependência), propor um mundo onde uns competem com outros, permitindo que um tenha tudo e outro nada. O pecado que destrói a vida. Esse inimigo foi vencido porque Jesus é o cordeiro de Deus e ele ‘tira o pecado do mundo’. Nas palavras de João Batista, Jesus não apenas perdoa pecados, mas ele é aquele que tira. E quando tira sugere outra possibilidade.

Outro inimigo vencido é conhecido: inferno. Pra mim o problema do inferno não é geográfico (onde ele está localizado). O problema do inferno é que Deus não está lá! O inferno são os anjos que não aceitaram depender de Deus. Como fora de Deus não existe nada estão automaticamente condenados a deixar de existir. Enquanto a presente ordem não passa, o inferno incomoda. Mas Jesus venceu o inferno: entrou lá e tomou a chave, estabelecendo limites. Jesus disse que este mundo jaz no maligno, porém vencendo o inferno nos deu o direito de tirar muita gente de lá. E muita gente vive hoje como se estivesse no céu, e de fato estão porque estão em Deus e Deus está neles. Jesus é aquele que tira a gente do inferno. E quando tira sugere outra possibilidade.

O último inimigo ainda será vencido, é a morte. Um dia todos os mortos ressuscitarão, uns para a glória eterna e outros para o desprezo eterno. Nesse dia a morte estará morta. Então se ouvirão as célebres palavras da profecia bíblica: “Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó inferno, o teu aguilhão?”

Ação extraordinária! Jesus vence esses inimigos para que tenhamos vida e vida com abundancia. Ele está aqui sofrendo conosco para que o sofrimento não seja a última realidade da história. Jesus não ressuscitou para mostrar que a morte não o venceria. Jesus ressuscitou para mostrar que existe outra possibilidade.

João, na ilha de Patmos, em meio ao sofrimento, à dor, à morte, teve uma visão de Deus. As palavras do apóstolo nos capítulos 21 e 22 do Apocalipse nos confortam e animam. Ele chama as coisas maravilhosas que vê de “ali”, sugerindo que o tempo está próximo! Encerro com as palavras da profecia: “Ali não haverá mais noite; o Senhor Deus será a sua própria luz; reinarão para sempre... não haverá mais morte, nem tristeza, nem dor”.

Por enquanto a saudade que Adriano e Janete nos deixam. Por enquanto, a esperanço no dia depois de amanhã!

Ricardo Matense

Vereador de Verdade

Ricardo Matense é Vereador no município de Mata de São João, Bahia. Na Câmara Municipal é presidente da Comissão dos Direitos da Criança, do Adolescente e do Jovem e é o relator da Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por comentar meu blog.
Cadastre seu e-mail e receba atualizações gratuitamente.

Um abraço,

Ricardo Matense