“A UPP, para dar certo, precisa fazer a inclusão social”, diz traficante Nem

por 16:26 0 comentários
“Meu ídolo é o Lula. Adoro o Lula. Ele foi quem combateu o crime com mais sucesso. Por causa do PAC da Rocinha. Cinquenta dos meus homens saíram do tráfico para trabalhar nas obras. Sabe quantos voltaram para o crime? Nenhum. Porque viram que tinham trabalho e futuro na construção civil.”. A declaração do traficante Nem da Rocinha, um dos homens mais procurados do Rio de Janeiro até semana passada (quando foi capturado), revela um pouco da personalidade do criminoso. Em entrevista à repórter Ruth Aquino, da Revista Época no último dia 4, o traficante elogiou o secretário de segurança pública José Mariano Beltrame e disse que aprova o projeto de instalação de Unidades de Polícia Pacificadora. “inteligentes que já vi. Se tivesse mais caras assim, tudo seria melhor. Ele fala o que tem de ser dito. UPP não adianta se for só ocupação policial. Tem de botar ginásios de esporte, escolas, dar oportunidade (…)”, disse. Sobre o fato da facção Amigos dos Amigos, à qual pertence, proibir a venda de crack nos morros que domina, Nem explicou: “Não negocio crack e proíbo trazer crack para a Rocinha. Porque isso destrói as pessoas, as famílias e a comunidade inteira. Conheço gente que usa cocaína há 30 anos e que funciona. Mas com o crack as pessoas assaltam e roubam tudo na frente”. (Jornal do Brasil)


Ricardo Matense

Vereador de Verdade

Ricardo Matense é Vereador no município de Mata de São João, Bahia. Na Câmara Municipal é presidente da Comissão dos Direitos da Criança, do Adolescente e do Jovem e é o relator da Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por comentar meu blog.
Cadastre seu e-mail e receba atualizações gratuitamente.

Um abraço,

Ricardo Matense