#Devocional: Fiz tudo certo e deu tudo errado

por 22:28 0 comentários

E quando fazemos tudo certo, mas as coisas não acontecem como queremos?

Ontem comecei uma série de pregações sobre os dois primeiros capítulos do Evangelho de Lucas. A sessão que nos ocupou foi aquela referente à predição do nascimento de João Batista. É interessante ver que o texto por três vezes faz alusão ao olhar de Deus (vv. 6,15 e 25). A impressão que tenho é que o autor quer chamar nossa atenção para a necessidade que temos de nos preocupar mais com o que Deus pensa de nossas atitudes do que sobre o que as pessoas acham do que fazemos. A avaliação que deve contar, em ultima instância, é a do Senhor da criação e não a das criaturas. Entretanto, lamentavelmente, preferimos empreender esforços para satisfazer às expectativas das pessoas do que as expectativas de Deus.

Pensei sobre isso quando coloquei o foco sobre o casal Izabel e Zacarias (os pais de João). O texto reserva palavras elogiosas para falar da piedade e da justiça daquele casal. Eram escrupulosos no cumprimento dos preceitos da Lei de Deus a ponto do texto usar uma palavra fortíssima: irrepreensível. Contudo, mesmo com todo este zelo, somos informados que existia um porém extremamente incômodo para eles: o grande sonho da vida do casal não tinha sido realizado por Deus. O tão sonhado filho não viera. Izabel era estéril. E agora, como equacionar isso na cabeça daquela filha de sacerdote casada com um sacerdote?

Mesmo com a tristeza por não poder ter filhos, Izabel não sofreu do mal que muitos tem sofrido hoje por um motivo: Ela aprendeu a viver sob o olhar de Deus e não sob as expectativas da sociedade. Hoje as pessoas estão sendo alimentadas com uma pregação que faz de Deus um despachante que deve atender os desejos dos “justos”. A lógica que depreendemos dessas mensagens positivas é: faça tudo certo e Deus cuidará para que nada dê errado. Acontece que essa lógica só faz sentido se não formos honestos para com a Bíblia, pois se atentarmos para os relatos da Palavra de Deus descobriremos que não temos o poder de determinar absolutamente nada no curso das nossas vidas. E não acontece assim porque Deus é suficientemente responsável para não permitir que manipulemos as coisas e muito menos a Ele próprio.

Jó fez tudo certo e tudo deu errado, Jeremias fez tudo certo e tudo deu errado e finalmente Jesus fez tudo certo e acabou numa cruz. Ao olhos do mundo, todos fracassados, sob o olhar de Deus, todos vencedores. Então chegamos ao coração da questão. Se vivermos preocupados com as expectativas da sociedade só nos resta um caminho: fazermos tudo como manda a lógica do mundo e nos distanciarmos de Deus. Caso contrário, se optarmos por viver sob os olhos do Senhor, então, faremos tudo como Deus quer e seremos um fracasso para o mundo.

Voltemos à questão inicial: E quando fazemos tudo certo, mas as coisas não acontecem como queremos? O problema é que nutrimos uma espécie de esquizofrenia. Agimos de acordo com uma realidade (a de Deus) e avaliamos os resultados com base em outra (a do mundo). Quando aprendermos a fazer tudo certo pela perspectiva de Deus e avaliarmos o que nos acontecerá de acordo com o plano dEle para a nossa vida, então veremos que tudo se ajusta. Enquanto operarmos com esta duplicidade, viveremos nesse dilema entre a ética e os resultados. Nossa piedade e justiça não constrangerão Deus a satisfazer os nossos desejos, mas viver justa e piedosamente nos colocará numa dimensão de vida onde Deus opera todas as coisas para o bem daqueles que o amam.

AFA Neto é pastor. Texto publicado inicialmente no Canteiro de Inquietudes.

Ricardo Matense

Vereador de Verdade

Ricardo Matense é Vereador no município de Mata de São João, Bahia. Na Câmara Municipal é presidente da Comissão dos Direitos da Criança, do Adolescente e do Jovem e é o relator da Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por comentar meu blog.
Cadastre seu e-mail e receba atualizações gratuitamente.

Um abraço,

Ricardo Matense