De Imbassaí: Um texto de Ed René Kivits

por 12:16 0 comentários
Em Imbassaí, retiro. Momento de descanso. Mas o "viço" não deixa faltar à net. Aí, no vai e vem da navegação virtual, algumas palavras que cobram da gente: publica! publica!

Foi o caso do texto transcrito abaixo, do pastor Ed René, teólogo da missão integral. Uma reflexão sobre visão, e sobre a visão de Deus.

Na oportnidade, uma sugestão de leitura: Ezequiel 1:1 "Eu tive uma visão de Deus". Às vezes a realidade que nos cerca é angustiadora e dolorosa, tira de nós o encanto e a empolgação pela vida, mas em tempo de crise Deus animou Ezequiel. Precisamos ser profetas que vivem os dois eixos da visão: temos noção clara da realidade que nos cerca, mas percabemos na visão de Deus oportunidades de redenção e transformação.

Soli Deo Glória.

Ensaio sobre a visão - Ed René Kivts

Se tu pudesses ver o que eu sou obrigada a ver, quererias estar cego. Esta expressão costura o enredo de Ensaio sobre a cegueira, a obra onde José Saramago sugere que num mundo onde todos estão cegos, a visão passa perto de ser uma maldição. Quem enxerga se torna responsável. E o peso da responsabilidade aos poucos vai se tornando insuportável. Só não é mais insuportável que o peso da própria cegueira.

A Bíblia Sagrada fala da experiência espiritual cristã como "passagem das trevas para a luz" e anuncia a irrupção do reino de Deus na pessoa de Jesus dizendo que "o povo que estava em trevas viu uma grande luz", e por esta razão aqueles que seguem a Jesus "não andam em trevas". Quem nasceu de novo, isto é, recebeu o toque do Espírito Santo e acolheu o reino/reinado de Deus em sua vida foi iluminado e passou a ver: "eu era cego, agora vejo".

Jesus diz que seus discípulos também são a luz do mundo, mas os adverte dizendo que "o olho é a lâmpada do corpo. Portanto, se você tiver um olho bom, todo o seu corpo será repleto de luz; mas se tiver um olho mau, todo o seu corpo estará repleto de escuridão. Caso a luz que está em você seja escuridão, quão terrível será essa escuridão".

No judaísmo, "ter um olho bom", um "ayin tovah", significa "ser generoso", e ter "um olho mau", um "ayin ra´ah", significa "ser mesquinho". A cegueira é comparada ao egoísmo; a visão, à solidariedade, à compaixão e também à auto-doação voluntária e ao serviço abnegado. Ser cego é ser auto-centrado e indiferente. Enxergar é morrer para si mesmo e assumir com Cristo o peso da cruz, sofrendo com Ele as dores do mundo, o que necessariamente implica e resulta viver para Ele e para os que são dEle. Enxergar é servir. Andar na luz é praticar as boas obras, preparadas de antemão para que andássemos nelas e sem as quais a fé é morta.

Contrariando o dito popular que afirma que o pior cego é aquele que não quer ver, podemos crer que a pior cegueira é a cegueira da cegueira. Quem transforma a fé em Cristo numa crença inconseqüente, é cego que pensa que vê, é cego de sua própria cegueira, é o pior dos cegos. A distância entre a cegueira e a visão é a mesma que separa a indiferença do engajamento. Quem recebe a graça de ver, recebe a missão de servir.

Ricardo Matense

Vereador de Verdade

Ricardo Matense é Vereador no município de Mata de São João, Bahia. Na Câmara Municipal é presidente da Comissão dos Direitos da Criança, do Adolescente e do Jovem e é o relator da Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por comentar meu blog.
Cadastre seu e-mail e receba atualizações gratuitamente.

Um abraço,

Ricardo Matense